Notícias

Aniam
11/02/2016

NO BRASIL DO DESARMAMENTO TAMBÉM TEMOS MUITOS MOTIVOS PARA CHORAR

As novas medidas propostas recentemente pelo presidente norte americano Barack Obama para o combate da violência armada reacendeu um importante debate mundial sobre o tema.

É inegável que a checagem de antecedentes criminais e de sanidade mental é fundamental para restringir legalmente que criminosos e pessoas com transtornos tenham acesso a armamentos. Porém não o suficiente para evitar o acesso ilegal por meio do crescente comércio clandestino nacional e internacional.

Apesar disso, o destaque nos noticiários internacionais ficou por conta do choro do presidente Barack Obama. Aqui no Brasil também temos muitos motivos para chorar. A começar pela equivocada política de segurança pública que vitimiza todos os anos milhares de cidadãos em nossas terras.

Fato é que aqui, ao contrário dos Estados Unidos, apesar de vigorar leis bastante restritivas, visando o controle e o desarmamento da população, o que vemos é o contrário. Um total descontrole, contrabando e o aumento dos índices de criminalidade.

Os resultados são lamentáveis. Milhões de armas irregulares em circulação e cerca de 60 mil homicídios por ano. Sem contar os milhões de cidadãos brasileiros que hoje não conseguem ter acesso a meios efetivos e compatíveis de defesa, devido à discricionariedade na análise de comprovação de efetiva necessidade, e encontram-se vulneráveis a ação dos criminosos.

Nos EUA, as novas regras “não são um plano para retirar as armas de todo mundo”, como destacou o presidente Barack Obama. Argumenta que são medidas razoáveis para fortalecer o sistema de controle de compradores e vendedores de armas. No entanto, assim como o cenário brasileiro sugere, essa ação terá pouca ou nenhuma influência na redução da violência. Afinal, certamente quem está disposto a cometer um crime não se preocupará em cumprir leis.

O atual debate em busca de soluções e medidas efetivas é de extrema importância e deve continuar, porém é preciso pensar tecnicamente e não politicamente, e levar sempre consideração a realidade de cada país, ao invés de promover ações baseadas em ideologias, suposições ou comparações infundadas.

Salesio Nuhs, Presidente da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições – Aniam

 

 


Veja também as notícias anteriores   Veja também as notícias anteriores

 

05/04/2016 - Aumento de armas, diminuição de homicídios em SP
22/02/2016 - Apreensão de armas e munições contrabandeadas aumenta 43% no Brasil
17/02/2016 - Recordes brasileiros de homicídios
11/02/2016 - No Brasil do desarmamento também temos muitos motivos para chorar
05/11/2015 - Destaques do Projeto de Lei que modifica Estatuto do Desarmamento são votados na Câmara
28/10/2015 - Mudanças no Estatuto do Desarmamento são aprovadas na Câmara dos Deputados
23/10/2015 - Dez anos do referendo sobre comércio de armas e munições
29/09/2015 - Mercado ilegal de armas e munições no Brasil
13/08/2015 - Quando a vítima exerce o direito da defesa
12/08/2015 - Reta Final Abaixo Assinado PL 3722
06/08/2015 - Mitos e fatos sobre o Projeto de Lei 3722/12
03/08/2015 - Audiência Pública Projeto de Lei 3722/2012
30/07/2015 - 120 mil vidas poupadas no país do faz de conta
29/07/2015 - Lei do desarmamento põe na ilegalidade milhões de brasileiros honestos
21/07/2015 - Um cidadão pacífico não pode ser confundido com um cidadão indefeso
09/07/2013 - Brasil é o 4º maior exportador de armas do mundo, segundo relatório
12/06/2013 - Câmara estuda revogação do Estatuto do Desarmamento
11/04/2013 - Feira mostra armas que serão usadas em grandes eventos no Brasil
23/01/2013 - Desarmar o cidadão de bem não diminui a violência no Brasil.
28/01/2013 - Lições, por Denis Lerrer Rosenfield
04/01/0013 - SÉRIE ''LOUCO POR ARMAS'' RETRATA O COTIDIANO DE COLECIONADORES
27/12/2012 - Os bandidos agradecem
19/12/2012 - A paixão dos americanos pelas armas de fogo vem de longa data
11/12/2012 - Desarmar o cidadão é dar munição para o crime
06/12/2012 - SEGURANÇA - Relator defenderá venda de armas, conforme aprovado em referendo de 2005

 

 

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados.
Powered by .PACH.